terça-feira, 21 de outubro de 2014

VÍTIMAS DA SOCIEDADE - Roberto Rachewsky


Como uma expressão tão curta pode conter uma falácia tão grande. 

Sociedade é o conjunto onde todos os indivíduos estão inseridos, desde os miseráveis comedores de ratos do Piauí até os corruptos moradores do presídio da Papuda. 

É uma impossibilidade lógica, uma parte que integra e confunde-se com o todo, ser vítima do conjunto inteiro do qual é parte. Estando o todo contra um, sendo este parte do todo, este um estaria contra ele mesmo. Cai por terra a hipótese que validaria o discurso da exclusão social. 

Em qualquer sociedade, há os que interagem cooperando livremente – persuasão. E há os que se impõem pelo uso da força, da fraude ou do rompimento de contratos - violência. Os que usam a persuasão, criam valores. Os que usam a violência, criam vítimas. 

Assim como não há crimes sem vítimas, não há vítimas sem o uso da violência. 

Apenas quando os direitos individuais de alguém tiverem sido violados, se estabelecerá um crime e uma vítima. 

Estas não são vítimas da sociedade, são vítimas daquela parte da sociedade que tem na violência, a sua maneira de interagir com os demais. 

Somente dois grupos se valem da violência, os bandidos das ruas e os que ocupam cargos públicos com o propósito de violar direitos, mesmo que seja para distribuir benesses. 

Aqueles, apontados como vítimas da sociedade são, na realidade, vítimas do governo ou vítimas de si mesmos. 

Os apologistas da justiça social e dos direitos humanos, não confundir com direitos individuais, com suas leis irracionais e tirânicas, tributam e regulam, asfixiam e desestimulam, desestruturam e penalizam a livre iniciativa e a ordem espontânea. Destroem infinitas oportunidades de criação de valor, seja para jovens de todas as classes, iletrados de todas as idades ou pessoas com baixa produtividade, depauperando a todos. 

Sustentam multidões com esmolas, na infeliz tentativa de mitigar os efeitos indesejados, causados por suas próprias intervenções. 

Os artífices dos programas de engenharia social tratam seres humanos como pobres coitados, como se lhes restasse, receber esmolas, cometer pequenos delitos, furtos ou roubos, para sobreviverem. 

Não permitem que empreendedores, com mais liberdade e segurança para investir, criar, produzir e contratar, gerem empregos para todos, principalmente para os menos preparados.  

Impedidos de viver do fruto de seu próprio trabalho, com outra perspectiva, baseada no mérito e na dignidade, os miseráveis, supostos pobres coitados, vítimas do governo, também não conseguem se libertar. 

Governantes que culpam a sociedade, de maneira falaciosa, pelas vítimas que eles próprios criam, querem apenas despistar. 

Postado há 29th March por Roberto Rachewsky

VOCABULÁRIO
1) PREENCHA A CRUZADINHA COM SINÔNIMOS DAS PALAVRAS ABAIXO, OS QUAIS VOCÊ ENCONTRARÁ NO TEXTO.
a) convicção, certeza: 
b) ignorantes, analfabetos:
c) abusivos, opressores:
d) amenizar, abrandar:
e) castigam, punem:
f) arruinando, empobrecendo:
g) defensores:
h) crimes, erros:
i) auxílios, favores:

2) PESQUISE O SIGNIFICADO DA PALAVRA "FALÁCIA" E EXPLIQUE A QUE O AUTOR ESTÁ SE REFERINDO, NO PRIMEIRO PARÁGRAFO DO TEXTO.

3) ASSINALE A ALTERNATIVA ONDE O SENTIDO DO TERMO "FRUTO" NÃO CORRESPONDE AO MESMO COM QUE FOI EMPREGADO NA FRASE "Impedidos de viver do fruto de seu próprio trabalho," (14º parágrafo).

a) "A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces."(Aristóteles)
b) "Os homens semeiam na terra o que colherão na vida espiritual: os frutos da sua coragem ou da sua fraqueza." (Allan Kardec)
c) "No ano passado a esta época a chuva já tinha chegado e alguns frutos já estavam maduros." (Neide Rigo)

INTERPRETAÇÃO
1) SEGUNDO O AUTOR, O QUE É UMA SOCIEDADE?

2) A QUEM O AUTOR SE REFERE, NO SEGUNDO PARÁGRAFO, QUANDO DIZ "[...]ATÉ OS CORRUPTOS MORADORES DO PRESÍDIO DA PAPUDA?"

3) POR QUE, SEGUNDO O AUTOR, "CAI POR TERRA A HIPÓTESE QUE VALIDA O DISCURSO DA EXCLUSÃO SOCIAL" (3º PARÁGRAFO)?

4) COMO O AUTOR DEFINE A PERSUASÃO? E A VIOLÊNCIA?

5) QUANDO HÁ UM CRIME E UMA VÍTIMA, DE FATO, SEGUNDO O TEXTO?

6) AS VÍTIMAS DA SOCIEDADE SÃO VÍTIMAS DE QUEM? POR QUÊ?

7) QUAL A IMPOSSIBILIDADE LÓGICA A QUE O AUTOR SE REFERE, NO SEGUNDO PARÁGRAFO DO TEXTO? EXPLIQUE COM SUAS PALAVRAS.

8) "Assim como não há crimes sem vítimas, não há vítimas sem o uso da violência." (5º PARÁGRAFO). VOCÊ CONCORDA COM ESSA AFIRMAÇÃO? JUSTIFIQUE:

ATIVIDADES GRAMATICAIS
1) REESCREVA A FRASE ABAIXO, SUBSTITUINDO A LOCUÇÃO VERBAL POR UM FORMA VERBAL SIMPLES, EQUIVALENTE.
a) "Como uma expressão tão curta pode conter uma falácia tão grande."

2) SABENDO QUE VERBOS ANÔMALOS SÃO AQUELES QUE APRESENTAM MAIS DE UM RADICAL AO SEREM CONJUGADOS, TRANSCREVA, DO TEXTO, DUAS FRASES ONDE APAREÇA UM VERBO ANÔMALO, APRESENTANDO RADICAIS DIFERENTES EM VIRTUDE DO TEMPO/MODO EM QUE ESTÃO CONJUGADOS.

3) INDIQUE A QUEM (OU AO QUE) SE REFEREM OS VERBOS E AS LOCUÇÕES ABAIXO, NO TEXTO:
a) validaria (3º parágrafo):
b) tiverem sido violados (6º parágrafo):
c) são (9º parágrafo):
d) tributam e regulam (10º parágrafo):
e) destroem (10º parágrafo):
f) sustentam (11º parágrafo):
g) tratam (12º parágrafo):
h) permitem (13º parágrafo):
i) conseguem (14º parágrafo):
j) culpam (15º parágrafo):

4) SE CONJUGÁSSEMOS O VERBO "CULPAM" NA 3ª PESSOA DO SINGULAR, O NÚMERO DE TERMOS A SER ALTERADOS NA FRASE "Governantes que culpam a sociedade, de maneira falaciosa, pelas vítimas que eles próprios criam, querem apenas despistar." É DE:
a) 4                   b) 5                    c) 3                      d) 6                        7) 8

5) ANALISE AS AFIRMAÇÕES ABAIXO E, EM SEGUIDA, ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:
a) "Estando o todo contra um, sendo este parte do todo, este um estaria contra ele mesmo." (3º parágrafo) - os verbos destacados estão, respectivamente, no gerúndio (os dois primeiros) e no particípio.
b) "Os artífices dos programas de engenharia social tratam seres humanos como pobres coitados, como se lhes restasse, receber esmolas, cometer pequenos delitos, furtos ou roubos, para sobreviverem." - os verbos destacados estão, respectivamente, no particípio e no infinitivo.
c) "Não permitem que empreendedores, com mais liberdade e segurança para investir, criar, produzir e contratar, gerem empregos para todos, principalmente para os menos preparados." - os verbos destacados estão no infinitivo e pertencem a 3ª conjugação - investir e produzir - e 1ª conjugação - criar e contratar.

6) REESCREVA A FRASE ABAIXO PASSANDO OS VERBOS PARA O PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO.
a) "Cai por terra a hipótese que validaria o discurso da exclusão social."

7) REESCREVA A FRASE ABAIXO PASSANDO O VERBO PARA O PRETÉRITO IMPERFEITO DO INDICATIVO, USANDO A 1ª PESSOA DO PLURAL:
a) "Sustentam multidões com esmolas, na infeliz tentativa de mitigar os efeitos indesejados, causados por suas próprias intervenções." 




Nenhum comentário: