sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O CEGO E O DINHEIRO ENTERRADO

O CEGO E O DINHEIRO ENTERRADO
                                                                       Luís da Câmara Cascudo




      
  Um cego, muito econômico, guardava suas moedas em casa e, temendo os ladrões,  resolveu esconder seu tesouro no quintal. Cavou um buraco ao pé de uma árvore, debaixo da raiz, e deixou seu dinheiro bem disfarçado.
            Sucedeu que um vizinho seu, vendo-o ir tão cedo para o fundo do quintal, acompanhou-o, descobrindo o segredo. Quando anoiteceu, voltou à árvore e furtou todo o dinheiro que o cego enterrava.
            Pela manhã, o dono veio tateando, e verificou ter sido roubado. Como não resolvia chorar ou queixar-se, fingiu não ter sido visitado pelo ladrão e começou a pensar em uma forma de readquirir seu dinheiro, sem barulhos.
            Foi procurar o vizinho e lhe falou:
            — Vizinho, nesse tempo, ninguém pode ter confiança senão em si mesmo, apesar dos dentes morderem a língua e ambos viverem juntos. Juntei minhas economias e escondi num pé de árvore ali no meu quintal, pensando ser um lugar seguro. Acabo de receber um bom dinheiro e vim pedir conselho a você. Guardo tudo junto ou levo esse dinheiro para a cidade?
            O vizinho pensou logo em pegar todo o dinheiro do cego e aconselhou-o que deixasse tudo junto, no mesmo canto já antigo.
            E logo que escureceu, correu e foi levar o que havia tirado na noite  anterior, para o cego não desconfiar. Cobriu tudo de areia, alisou, retirou-se. Mais tarde, o cego procurou o cantinho velho e tomou posse do seu dinheiro ali colocado pelo vizinho que sonhava ficar com tudo.
            E quando o ladrão voltou, encontrou apenas o buraco oco, sem um níquel sequer.

VOCABULÁRIO
1) Encontre, no texto, sinônimos para as palavras:
a) apalpando:
b) roubou:
c) dinheiro, moeda:
d) vazio:
e) duvidar:

ATIVIDADES TEXTUAIS
1) Enumere corretamente os fatos de acordo como aconteceram no texto.
(        ) O vizinho viu o cego enterrando o dinheiro e à noite roubou-o.
(        ) O cego foi "aconselhar-se" com o vizinho, visando reaver o dinheiro que lhe fora roubado.
(        ) Um homem cego, temendo ser roubado, escondia seu dinheiro no quintal.
(        ) Pela manhã, o cego descobriu que fora roubado.
(        ) O vizinho, imaginando roubar o suposto dinheiro que o cego disse ter recebido, volta ao local e, para o cego não desconfiar, coloca todo o dinheiro que havia roubado no mesmo lugar, cobrindo bem o buraco.
(        ) O cego consegue reaver o dinheiro.

2) Por que o cego escondia o dinheiro no quintal?

3) Qual dos dois personagens do texto se mostrou mais esperto? Justifique:

4)  Para ter seu dinheiro de volta, o cego demonstrou:  
(a) bondade e paciência                                  (c) inteligência e esperteza  
(b) egoísmo e intolerância                                (d) humildade e bondade 

5) “Sucedeu que um vizinho seu, vendo-o ir tão cedo para o fundo do quintal, acompanhou-o, descobrindo o segredo.” 
A palavra “sucedeu” poderia ser substituída por qual outra palavra sem alterar o significado no texto?  
(a) Aconteceu                (b) Percebeu               (c) Entendeu                 (d) Esperou

ATIVIDADES GRAMATICAIS
1) Classifique os adjuntos adverbiais presentes nas frases abaixo:
a) " Um cego, muito econômico, guardava suas moedas em casa e, temendo os ladrões,  resolveu esconder seu tesouro no quintal."
b) " Quando anoiteceu, voltou à árvore e furtou todo o dinheiro que o cego enterrava."

2)  Em qual das alternativas abaixo há uma expressão que indica tempo?
(a) “Cavou um buraco ao pé de uma árvore, debaixo da raiz”
(b) “Pela manhã, o dono veio tateando, e verificou ter sido roubado.”
(c) “Juntei minhas economias e escondi num pé de árvore ali no meu quintal”...
(d) ...”e deixou seu dinheiro bem disfarçado.”

3) Leia com atenção a tirinha abaixo:
A  palavra “Não!”, no segundo balão do primeiro quadrinho, é um adjunto ___________ de ______________ e  revela que a personagem:
(A) pretende negociar com o irmão o que ele pedir.
(B) recusa-se a emprestar qualquer coisa ao irmão.
(C) teve dificuldade para compreender o pedido.
(D) assustou-se com o pedido de seu irmão.



Fonte de Pesquisa: Grupo Arte & Manhas da Linguagem. Parte da atividade proposta pela professora Márcia.

Nenhum comentário: