sexta-feira, 21 de junho de 2013

MÃOS SUJAS DE SANGUE - Roberto Rachewsky / QUANDO NOS LIVRAREMOS DO MEDO (Editoria de Opinião ZH)

TEXTO 1
MÃOS SUJAS DE SANGUE
Roberto Rachewsky - http://www.robertorachewsky.blogspot.com.br/
http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/2013/05/14/artigo-maos-sujas-de-sangue/?topo=13,1,1,,,13


Sempre que há um latrocínio, as pessoas ficam se questionando se houve reação da vítima para ter sido morta. Alguns dizem: "Mas ele morreu porque reagiu". Outros supõem: "Não tivesse reagido, teria sido poupado e estaria vivo ainda".



Quando ocorre um estupro, há os que dizem que pode ter havido provocação. "Ah, também, com aquela roupa indecente", ou "o que fazia uma menina naquele lugar naquela hora? Estava pedindo".



Se roubaram a carteira de alguém, se escuta: "Tinha que levar no bolso da frente", ou "deve ter dado sopa".

Ora, essa discussão é absolutamente irrelevante. Busca transferir a culpa do crime para a vítima. Despreza nosso direito de reagir a um ataque violento, de esboçar um não, de ir e vir por aí, mesmo que isso possa parecer insensatez.

Independentemente do tipo de ação ou reação da vítima, a responsabilidade pelo crime ocorrido é, e sempre será, do agressor que iniciou a ação violenta.

Não somos culpados quando alguém nos rouba porque ostentamos. Não somos culpados quando alguém nos estupra quando ostentamos. Não somos culpados quando alguém nos assassina, se ostentamos.

Para crápulas que roubam, estupram ou assassinam, ostentamos o que não possuem, uma vida digna.

Não somos culpados quando reagimos. Há apenas dois culpados pela criminalidade, os que cometem o crime e os que não cumprem com sua função de impedi-lo pela força da polícia ou de remediá-lo pela força da Justiça.

Não se acabará com a criminalidade epidêmica, sem que se apliquem os únicos antídotos que se conhece para tal, desimpedir nossa capacidade de reação, através da garantia do direito de legítima defesa; implementar a proteção ostensiva, através da polícia bem aparelhada e treinada para enfrentar bandidos, ao invés de ser utilizada para impor regras que servem para nos tutelar; e, finalmente, aplicar a punição exemplar, pela qual as penas estabelecidas sejam cumpridas sem redução e progridam, com majorações, em caso de mau comportamento ou falta de cooperação do condenado.

Os que falam em desarmamento e se opõem ____ pena de morte esquecem que bandidos estão armados até os dentes e que ____ pena de morte já existe no Brasil. Ela vem sendo aplicada, indistintamente, ____ cidadãos de bem, crianças, jovens, adultos ou idosos.

Estamos todos sob julgamento sumário, diário e constante, no qual a sentença definitiva é dada por bandidos de todas as idades, e a audiência, composta pela massa passiva do Estado que, suja de sangue, levanta, justifica a perversão, vira as costas, e volta para casa para lavar as mãos.

*Conselheiro do Instituto de Estudos Empresariais e do Instituto Liberdade

VOCABULÁRIO
1) Encontre, no texto, sinônimos para as palavras:
a) Defender:                                                                                    e) Desnecessária:
b) Contagiosa:                                                                                f) Agressiva:
c) Exibimos, mostramos:                                                               g) Aumentos:
d) Imprudência:                                                                               h) Castigo:

INTERPRETAÇÃO TEXTUAL
1) Qual é o posicionamento do autor em relação à responsabilidade pelo crime?

2) O que, na verdade, ostentamos para os criminosos?

3) Quem são os culpados pela criminalidade, segundo o texto?

4) Quais são os antídotos citados pelo autor para combater a criminalidade?

5) O autor do texto assume um posicionamento em relação ao desarmamento e à pena de morte. Ele se mostra contra ou a favor? Comprove com um trecho do texto.

6) Explique a expressão “deve ter dado sopa”.

7) Em relação ao texto, é correto afirmar:

I – Todas as pessoas que morrem durante um assalto, reagiram.
II – Somos responsáveis por tudo de ruim que nos acontece, pois somos imprudentes e provocamos as situações de roubo e assalto.
III – Uma das formas de acabar com a criminalidade é aplicar penas exemplares, sem redução e com aumento caso o condenado não apresente um bom comportamento.
IV – A pena de morte existe no Brasil e é aplicada a cidadãos de bem.
V – A falta de leis e punições severas para os bandidos faz com que o Estado, de certa forma, seja complacente com a violência que se vê no país.

a) As alternativas III, IV e V estão corretas.                    d) Nenhuma alternativa está correta.
b) Todas as alternativas estão corretas.                        e) As alternativas I e II estão corretas.
c) As alternativas I, II e III estão corretas.

ATIVIDADES GRAMATICAIS
1) No 1º parágrafo do texto, há 2 orações coordenadas sindéticas. Destaque e classifique-as:

2) Qual a função das aspas usadas em expressões presentes nos 3 primeiros parágrafos?

3) “[...] os que cometem o crime e os que não cumprem com sua função de impedi-lo pela força da polícia ou de remediá-lo pela força da Justiça.” Os pronomes destacados substituem qual termo mencionado anteriormente na frase?

4) A alternativa que completa adequadamente as lacunas presentes no 10º parágrafo é:
a) à – à – a                                           d) à – a – a 
b) a – à – a                                           e) a – a – a 
c) à – a – à 
5) Classifique os termos destacados como OI, OD, CN ou AA:
a) “[...] se houve reação da vítima para ter sido morta.”
b) “Busca transferir a culpa do crime para a vítima.”
c) “[...] os que cometem o crime e os que não cumprem com sua função de impedi-lo.”
d) “Os que falam em desarmamento e se opõem à pena de morte [...]”
e) “Despreza nosso direito de reagir a um ataque violento.”
6) “[...]as pessoas ficam se questionando se houve reação da vítima para ter sido morta.” Reescreva a frase, substituindo os termos destacado por:
a) um pronome pessoal na 1ª pessoa do singular:
b) um pronome pessoal na 1ª pessoa do plural:
c) um pronome pessoal na 3ª pessoa do plural:
d) um pronome pessoal na 3ª pessoa do singular:

7) No primeiro parágrafo do texto há a presença de:

a) 2 pronomes pessoais – se e ele / 2 pronomes possessivos - sempre e ainda.
b) 2 pronomes pessoais – se e ele / 2 pronomes indefinidos – alguns e outros.
c) 3 pronomes pessoais – as, se e ele / 2 pronomes indefinidos – alguns e outros.
8) Substitua a expressão destacada por um pronome adequado:
a) “[...] implementar a proteção ostensiva, [...]”
b) “[...] através da polícia bem aparelhada e treinada para enfrentar bandidos, [...]” 

9) Indique a que termos os pronomes relativos se referem.
a) “[...] ao invés de ser utilizada para impor regras que servem para nos tutelar;[...]”
b) “Estamos todos sob julgamento sumário, diário e constante, no qual a sentença definitiva é dada por bandidos de todas as idades.”
c) “[...] e a audiência, composta pela massa passiva do Estado que, suja de sangue, levanta, justifica a perversão, vira as costas, e volta para casa para lavar as mãos.”

10) Na oração abaixo, destaque o agente da passiva. Em seguida, reescreva a frase, passando-a para a voz ativa.

“A sentença definitiva é dada por bandidos de todas as idades.”

11) Assinale a alternativa em que há, apenas, substantivos abstratos:
a) Latrocínio – pessoas – reação
b) Vítima – discussão – ataque
c) Criminalidade – proteção – culpa
d) Morte – cidadãos – bandidos 
e) Idade – punição – polícia


12) Retire, do 1º parágrafo do texto, 2 substantivos sobrecomuns.

13) Transcreva os adjetivos usados para caracterizar os substantivos abaixo:
a) roupa (2º parágrafo):
b) discussão (4º parágrafo):
c) ataque (4º parágrafo):
d) ação (5º parágrafo):
e) vida: (7º parágrafo):
f) criminalidade (9º parágrafo):
g) antídotos: (9º parágrafo):
h) defesa: (9º parágrafo):
i) proteção (9º parágrafo):
j) punição (9º parágrafo):
k) comportamento (9º parágrafo):


14) Reescreva as expressões abaixo, substituindo a locução adjetiva, pelo adjetivo correspondente:
a) Bolso da frente (3º parágrafo):
b) Força da polícia (8º parágrafo):
c) Força da justiça (8º parágrafo):

TEXTO 2

QUANDO NOS LIVRAREMOS DO MEDO?
Editoria de Opinião ZH
http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/2013/05/16/interativo-editorial-diz-que-governantes-e-autoridades-sao-os-maiores-responsaveis-pela-violencia-voce-concorda/?topo=13,1,1,,,13

Provocou grande repercussão o artigo do dirigente empresarial Roberto Rachewsky, publicado neste espaço na última terça-feira, afirmando que a pena de morte já existe em nosso país e vem sendo aplicada indistintamente contra cidadãos de bem, crianças, jovens, adultos ou idosos. Seu desabafo contra a violência questiona a responsabilização das vítimas e diz que só há dois culpados pela criminalidade no país: os delinquentes e as autoridades que não cumprem sua função de impedi-los de agir, pela ação policial e pela punição judicial.



Não endossamos totalmente a tese defendida pelo articulista, pois ele também sugere que a população se arme e reaja contra os criminosos _ o que, como a realidade comprova diariamente, quase sempre resulta em tragédia. Mas é inquestionável e revoltante que vivamos todos sob o regime da criminalidade, que comanda o triste espetáculo do medo nas grandes e pequenas cidades brasileiras. Vivemos aprisionados por grades, não nos arriscamos a sair à noite e, durante o dia, temos que estar sempre vigilantes, temos que desconfiar de tudo e de todos, temos que evitar lugares potencialmente perigosos, jamais portar objetos de valor e frequentar sempre locais protegidos.

Quando nos livraremos do medo? Que desgraça é essa que recai sobre o Brasil, quando até mesmo países vizinhos desfrutam de relativa tranquilidade para tocar a vida? Quantas gerações de brasileiros ainda terão que viver como nossos adolescentes e jovens, que nunca conheceram o direito de sair sozinhos com a certeza de voltar incólumes para casa?

Pode até haver razões culturais por trás dessa calamidade nacional, mas a responsabilidade maior é das autoridades que elegemos e sustentamos com elevados impostos para nos dar proteção e Justiça. Leis permissivas, polícia insuficiente e tribunais lenientes formam o tripé da impunidade, que também é sustentado por políticas sociais equivocadas.

A desigualdade social já não serve mais de explicação para a violência. Se o país retirou milhões de pessoas da miséria nos últimos anos, como explicar que a criminalidade continue aumentando e que os crimes urbanos sejam cada vez mais banais e monstruosos? Vítimas que não reagem são executadas, criminosos queimam uma pessoa imobilizada porque ela tem pouco dinheiro na conta corrente, assaltantes explodem bancos e aterrorizam cidades inteiras. Até mesmo moradores de rincões remotos são acordados na madrugada e têm suas casas invadidas por quadrilhas de delinquentes.

Acreditamos que só existe um caminho para superar este estado de terror, que passa por três pontos basilares: polícia, Justiça e educação. Polícia ostensiva, bem preparada, bem equipada e eficiente no combate à criminalidade; Justiça célere, rigorosa, exemplar e dissuasória na penalização de delinquentes de todos os calibres; e educação preventiva, transformadora, que efetivamente encaminhe os jovens para uma existência humanitária e produtiva.

VOCABULÁRIO

1) Em relação às afirmações abaixo, assinale a alternativa correta:
I – “Não endossamos totalmente a tese defendida pelo articulista, [...]” – o termo destacado pode ser substituído por “apoiamos” sem alterar o sentido da frase.
II – “”Quantas gerações de brasileiros ainda terão que viver como nossos adolescentes e jovens, que nunca conheceram o direito de sair sozinhos com a certeza de voltar incólumes para casa?” – O termo destacado pode ser substituído por “ilesos” sem alterar o sentido da frase.
III – “Pode haver razões culturais por trás dessa calamidade nacional, mas a responsabilidade maior é das autoridades [...]” – O termo destacado pode ser substituído por “desgraça” sem alterar o sentido da frase.
IV – “Leis permissivas, polícia insuficiente e tribunais lenientes formam o tripé da impunidade, [...]” – As duas palavras destacadas são sinônimas e podem ser substituídas por “tolerantes” sem alterar o sentido da frase.
V – “Acreditamos que só existe um caminho para superar este estado de terror, que passa por três pontos basilares; [...]” – O termo destacado pode ser substituído por “básicos” sem alterar o sentido da frase.

a) Todas as alternativas estão corretas.                   d) As alternativas I, III e V estão incorretas.
b) Nenhuma alternativa está correta.                         e) Apenas a alternativa II estão incorreta.
c) As alternativas II e III estão incorretas.

2) Explique o que o autor quer dizer com “Justiça célere, rigorosa, exemplar e dissuasória." Explique baseando-se nos termos destacados.

INTERPRETAÇÃO

1) Classifique como Verdadeiras ou Falsas as afirmações em relação ao texto.

(    ) O autor do presente artigo concorda plenamente com a tese defendida por Roberto Rachewsky, autor do texto “Mãos sujas de sangue”, que afirma que a pena de morte existe em nosso país e é aplicada contra cidadãos inocentes, bem como, que a população deve ser armar e reagir contra a violência que aí está.
(      ) A desigualdade social justifica os atos de violência em nosso país.
(     ) A responsabilidade pela violência e pela impunidade que se instaurou é das autoridades que elegemos, das leis permissivas, da polícia insuficiente e dos tribunais condescendentes.
(     ) Segundo o texto, a solução está em termos um policiamento mais ostensivo e preparado para combater a criminalidade; uma Justiça rápida, rigorosa e exemplar na punição dos delinquentes; e educação preventiva e transformadora que faça com que os jovens se tornem pessoas de bem.

ATIVIDADES GRAMATICAIS

1) Quais os adjetivos atribuídos aos substantivos “leis”, “polícia” e “tribunais”? (4º parágrafo)

2) Indique a que termo anterior o pronome relativo destacado nas frases abaixo.
a) “Mas é inquestionável e revoltante que vivamos todos sob o regime da criminalidade, que comanda o triste espetáculo do medo nas grandes e pequenas cidades brasileiras.

b) “Acreditamos que só existe um caminho para superar este estado de terror que passa por três pontos basilares:”

c) “[...] educação preventiva e transformadora, que efetivamente encaminhe os jovens para uma existência humanitária e produtiva.”
3) Há erro na classificação dos termos na alternativa:
a) “[...] quando até mesmo países vizinhos desfrutam de relativa tranquilidade[...]” 
                                                                                                     OI
b) “Não endossamos totalmente a tese defendida pelo articulista [...]”
                                                        OD
c) “[...] jamais portar objetos de valor e frequentar sempre locais protegidos.[...]”
                                                 Adj.Adn.

d) “Polícia ostensiva, bem preparada, bem equipada e eficiente no combate à criminalidade.[...]”                                                                                                                                      CN

e) “Quando nos livraremos do medo?”
                                                   
                                                  CN
4) “Provocou grande repercussão o artigo do dirigente empresarial Roberto Rachewsky [...]”. Reescreva a frase substituindo a expressão destacada por um pronome que seja adequado. Faça as alterações necessárias.

5) Destaque e classifique os pronomes presentes nas frases.
a) “Temos de desconfiar de tudo e de todos [...]”.
b) Quantas gerações de brasileiros ainda terão que viver como nossos adolescentes e jovens [...]!
c) “Vítimas que não reagem são executadas [...]”
d) “[...] que elegemos e sustentamos com elevados impostos para nos dar proteção e justiça.”
e) “Acreditamos que só existe um caminho para superar este estado de terror [...]”

Um comentário:

Irivan Alves disse...

Olá Multiplicadora, felicidades para toda sua casa!

Dia 05/07 estamos completando um ano de atividades. Vou confessar que não é nada fácil ter que organizar todas as postagens constantemente, atender inúmeros pedidos em off, porém fazemos com muito carinho e procuramos fazer o nosso melhor da forma que é possível para nós, em virtude de tempo e cansado do trabalho.

No momento estamos de férias do trabalho e, para aproveitar esse tempo extra (as férias) queremos pedir a você em especial que convide outros educadores para conhecer o Projeto Educadores Multiplicadores. Assim nossa festa no dia 05/07 será ainda mais abrilhantada. Vamos alargar nossas fronteiras! Todos pela Educação!

DIVULGUE PARA SEUS AMIGOS PROFESSORES o EDUCADORES MULTIPLICADORES.

A parceria é exclusiva para blogs de Educadores/Professores que escrevem conteúdos ligados diretamente à Educação.

Por de falta de tempo, pedimos desculpas pela demora em lhe visitar.
.
Abraços, fiquemos na Paz de Deus e até breve. Agradecemos sua compreensão!

Atenciosamente,

IRIVAN