terça-feira, 2 de abril de 2013

Atividades diversas - Frase, oração, período, sujeito e predicado - 8º ano

TEXTO 1

HONORIS CAUSA 
Ulisses Tavares 
Ah, o amor é uma bobagem 
Escrevi, li, conversei a respeito. 
Mas depois de conhecer você 
Bagunçou tudo no meu peito 
Perguntam se o amor é nada? 
Ora, mais respeito se dê! 
Bolas, isso é pergunta de quem 
Não conhece você! 
1) Identifique no segundo verso quem é o sujeito das formas verbais escrevi, li e conversei e classifique-o:*
2) No poema, há um verbo na 3ª pessoa do plural:*
a) Identifique-o.*
b) O sujeito desse verbo é oculto ou indeterminado? Por quê?*
c) Honoris causa é um título que se dá a alguém que tenha passado num exame ou concurso. Com base nessa informação, justifique o título do poema.*
3) Qual é o sujeito do verbo “é” presente no primeiro e no 5º verso. 

TEXTO 2


Pois é 
Ataulfo Alves 
Falaram tanto que desta vez 
A morena foi embora. 
Disseram que ela era a maioral 
E eu é que não quis acreditar 
Endeusaram a morena tanto tanto 
Que ela resolveu me abandonar. 
A maldade dessa gente é uma arte 
Tanto fizeram que houve a separação. 
Mulher a gente encontra em toda parte 
Mas não se encontra a mulher 
Que a gente tem no coração. 


1) Como você sabe, a voz que fala nos versos de um poema ou de uma canção é o eu lírico. Nessa canção, o eu lírico se sente vítima do diz-que-diz de alguém.*
a) O que devem ter dito à morena? 
b) Levante hipóteses: O que devem ter falado à morena sobre o eu lírico? 
c) Que expressão, empregada na 2ª estrofe, revela a opinião do eu lírico de que sua separação foi resultado do mau-caratismo de alguém? 

2) Observe os três grupos de formas verbais:*

I – “A morena foi embora”. 
“[...] ela resolveu me abandonar.” 

II – “E eu [...] não quis acreditar.”

III – “Falaram tanto [...]”
Disseram que [...]” 
Endeusaram a morena tanto tanto” 
“Tanto fizeram que [...] 

Identifique se houver, o sujeito das formas verbais destacadas: 

a) No grupo I: 
b) No grupo II: 
c) No grupo III: 

3) De acordo com a visão do eu lírico, qual é o maior inimigo do amor?* 

TEXTO 3

QUIPROQUÓ - Armênio Vieira 

Há uma torneira sempre a dar horas 

Há um relógio a pingar no lavabo 
Há um candelabro que morde na isca 
Há um descalabro de peixe no teto 

Há um boticário pronto para a guerra 
Há um soldado vendendo remédios 
Há um veneno (tão mau) que não mata 
Há um antídoto para o suicídio de um pobre 

Senhor, senhor, que digo eu 
Que ando vestido pelo avesso 
E furto chapéu e roubo sapatos 
E sigo descalço e vou descoberto? 

Vocabulário: 
a) Descalabro: desorganização, caos, queda, ruína, prejuízo. 
b) Quiproquó: erro, equívoco, tomar uma coisa por outra. 
c) Boticário: farmacêutico. 

1) Nas duas primeiras estrofes do poema, destaca-se o emprego do verbo haver, que introduz cada um dos versos.*
a) Há sujeito nas orações introduzidas por esse verbo? 

2) Observe os verbos da 3ª estrofe e indique qual é o sujeito de cada um deles.

3) Na 1ª e na 2ª estrofe, o eu lírico menciona uma série de elementos que estão a sua volta: torneira, relógio, candelabro, etc. observe o vínculo estabelecido entre esses elementos e seus atributos (qualidades, características). Há lógica nesse vínculo? Justifique sua resposta com exemplos do texto.*

4) Observe, agora, a 3ª estrofe e o título do poema.*

a) Como o eu lírico se sente num mundo como esse? Justifique sua resposta com elementos do texto. 
b) O título do poema é coerente com o conteúdo. Por quê? 

5) O discurso verbal sempre expressa uma visão da realidade.*

a) Como o eu lírico vê o mundo? 
b) Ele se sente em condições de mudar a realidade? Por quê?

*FONTE: CEREJA, William Roberto. MAGALHÃES, Thereza Cochar. PORTUGUÊS: LINGUAGENS - 8º ano. 5.ed. reform. - São Paulo: Atual, 2009.

Nenhum comentário: