quarta-feira, 14 de dezembro de 2011


Jovem aplica mais de 100 injeções de silicone para aumentar os lábios
São Petersburgo (Rússia) - O sonho da russa Kristina Rei, 22, sempre foi ter os lábios como os da personagem Jessica Rabbit. Para realizar seu desejo, a russa resolveu se submeter a mais de 100 injeções de silicone, gastando mais de R$ 10 mil.
Russa aplicou mais de 100 injeções de silicone nos lábios | Foto: Reprodução Internet
De acordo com o Daily Mail, Kristina admite que tem um vício, mas ainda planeja aplicar mais injeções de silicone nos lábios. Cada uma delas custa cerca de R$ 120 e é "extremamente dolorosa", segundo as palavras da própria. "Eu acho que meus lábios ficaram fantásticos e isso me faz feliz. Às vezes gritam nomes estranhos para mim na rua, mas eu não me importo", contou.
Afirmando ser viciada nas injeções, Kristina contou que sempre considerou seus lábios "finos e feios" e por isso se submeteu ao tratamento. "Minha irmã mais velha tem lábios carnudos lindos e eu sempre amei a boca de Jessica Rabbit. Ela era a minha inspiração da mulher perfeita.
Segundo ela, o desejo de ter lábios maiores existe desde que tinha 4 anos de idade e foi acentuado pelas brincadeiras dos colegas de escola. "Meus colegas me chamavam de "feia". Eles não me provocavam por causa de meus lábios especificamente - mas eu sempre acreditei que se eles fossem maiores, isso me faria ficar mais bonita".
Ao completar 17 anos, Kristina se submeteu à primeira injeção de botox. E não parou mais. "A primeira foi extremamente dolorosa, mas eu amei o resultado. Eu sabia que ia tomar mais injeções antes de ter os lábios que eu queria".
Depois das injeções, a jovem, que se considera mais atraente, afirma que recebeu todo o apoio da família. "Meus lábios grandes têm ajudado a aumentar a minha confiança. Mesmo os meus pais estão felizes por mim. Eles realmente não se importam com minha aparência. Alguns dos meus amigos me disseram que eu não deveria aumentá-los, mas eu não estou satisfeita ainda".
Como se não bastasse o tamanho dos lábios, Kristina ainda quer passar por mais algumas intervenções cirurgicas. "Quando eu puder, quero aumentar meus seios, mudar o formato do meu nariz e fazer com que minhas orelhas fiquem pontudas como um elfo. É bom ser diferente".

01) Essa notícia explora que assunto que tem tomado conta do mundo? O que você pensa a respeito disso? Comente:
02) A quem especialmente interessa essa notícia?
03) Observando as duas fotografias, complete o quadro a seguir, comparando-as:


Características
Foto 1
Foto 2
Cabelos
Cor da pele
Lábios

04) Considerando suas anotações no quadro acima, é possível afirmar que Kristina estivesse descontente apenas com o formato de seus lábios? Justifique sua resposta:
05) O que é possível concluir com relação à classe socioeconômica a que Kristina pertence? Justifique sua resposta:
06)  “O desejo de ter lábios maiores existe desde que tinha 4 anos de idade e foi acentuado pelas brincadeiras dos colegas de escola.” Explique o significado da palavra em destaque:
07) Observe que, no texto, aparecem vários numerais cardinais. Retire do texto alguns exemplos:

08) Você acha correto, em nome da beleza, as pessoas mutilarem seus corpos? Justifique sua resposta:

09) Observando atentamente as duas imagens, o que você acha que cada uma delas transmite? Defina-as, dizendo qual das duas você prefere e o porquê:

10) Justifique a acentuação das seguintes palavras:
lábios –
aumentá-los –
cirúrgicas -
11) Utilizando a notícia em questão como estímulo, escreva um texto dissertativo sobre o tema “Beleza e saúde femininas”:
12) Crie 05 argumentos a favor e 05 contra a decisão da jovem em aplicar injeções de silicone nos lábios:
13) A busca por formas perfeitas atinge quase todas as mulheres, inclusive as adolescentes. Muitas delas, inclusive, estão procurando a cirurgia plástica para mudar o corpo ou corrigir alguma imperfeição. Para lidar com pacientes cada vez mais jovens, profissionais afirmam que é preciso avaliar o grau de maturidade de cada uma e a real necessidade de um procedimento cirúrgico.Muitos pais nem se surpreendem mais ao ouvir o pedido de presente de aniversário da filha adolescente: uma cirurgia plástica. A onda de turbinar os seios, fazer lipoaspiração, corrigir uma imperfeição no nariz ou até mesmo reparar orelhas de abano está mesmo em alta nos consultórios médicos. Isso tem gerado muita preocupação entre pais, educadores e especialistas.Quais seriam as causas de tanta insatisfação com a aparência ?
14) O que você acha de pais que consentem que menores (que ainda estão em formação e que podem, portanto, mudar de ideia com a maturidade) façam intervenções cirúrgicas por vaidade, que coloquem piercings?
15) Na sua opinião, há algo que a moça precisava mesmo mudar? Justifique sua resposta:
16) Observe o uso das aspas em alguns trechos da notícia. Eles têm o mesmo objetivo? Comente:
17) Você acredita que se a jovem tivesse outra idade (mais de 30, por exemplo) ela faria a mesma coisa, pensaria do mesmo jeito? Explique:
18) O texto está narrado em que pessoa? Justifique:
19) Grife no texto todos os depoimentos e circule os verbos de dizer:
20) Explique a função desses trechos na notícia: “De acordo com o Daily Mail”, “Segundo ela” e “Segundo as palavras da própria”:
21) Você concorda com a afirmação “É bom ser diferente”? Argumente:
22) Identifique no texto todos os vocábulos que fazem coesão referencial com Kristina:
23) Qual a função do texto visual na notícia?
24) Qual a função da legenda sob o texto visual?
25) Para dialogar com a notícia analisada, leia também o texto abaixo, para, em seguida, comentar sobre a influência externa apresentada em ambos:
Quero voltar a ser eu

Eu, que era eu – sim, porque eu já fui eu –, cheguei à triste conclusão de que não sou mais eu. Meu nome, que, por isso mesmo, já esqueci, não interessa a mais ninguém. Para um médico, por exemplo, sou apenas o cliente. Num restaurante, sou freguês. Na condução, passageiro. Nos correios, remetente. Num supermercado, consumidor. Para o imposto, sou contribuinte; com o prazo vencido, viro inadimplente. Para votar, sou eleitor; mas num comício, sou massa.

Viajar? Viro turista. Na rua, caminhando, sou pedestre; se me atropelam, sou acidentado; no hospital, paciente; para os jornais, sou vítima. Se compro um livro, viro leitor; para o rádio sou ouvinte; para o Ibope, espectador; e, para o futebol, eu, que já fui torcedor, virei galera.

Já sei que, quando eu morrer, ninguém vai se lembrar do meu nome. Vão me chamar de “o finado”, “o extinto”, “o falecido”, e, em certos círculos, até de “o desencarnado”. Só espero que o padre, na missa de sétimo dia, não me chame de “o sucumbido”. Logo a mim, que, no meu apogeu, já fui mais eu.
(Max Nunes)

(Autores: Andreia Dequinha, Sandra Vitezi, Cris Happy, Ruth Barbosa, Sonia Henriques, Lourdes Galhardo, Sinara Soares, Zizi Cassemiro, Rosa Maria, Maria Regina)

Nenhum comentário: