terça-feira, 5 de julho de 2011

CUSTO - VIOLÊNCIA


Quanto custa a violência? Um novo estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado na semana passada procura responder a essa e a outras perguntas relacionadas à violência interpessoal. Os dados foram apresentados durante a 7ª Conferência Mundial para Prevenção de Traumas e Promoção da Segurança, que ocorreu em Viena, na Áustria.
De acordo com a OMS, cerca de 1,6 milhão de pessoas morrem por ano no planeta devido a causas não relacionadas a doenças. Milhões de outras carregam pelo resto de suas vidas as sequelas físicas e emocionais dos episódios de que foram vítimas.
A violência é uma das principais causas de morte para pessoas entre 15 e 44 anos e responde por 14% dos óbitos masculinos e por 7% dos femininos. Enquanto a maioria das vítimas masculinas é morta por desconhecidos, cerca de metade das mulheres é assassinada por seus companheiros ou-ex companheiros. O estudo sugere ainda, a partir de números de alguns países, que cerca de 20% das mulheres e entre 5% e 10% dos homens foram vítimas de abuso sexual na infância.
No plano econômico, a OMS calcula que países da América Latina possam gastar mais de 4% de seu Produto Interno Bruto (PIB) com despesas de saúde relacionadas à violência. [...]
Vale notar que as despesas em tratamento médico estão longe de representar o total das perdas econômicas geradas pela violência. Outros itens a considerar seriam o custo de policiamento e de encarceramento e, indiretamente, a perda de produtividade das vítimas.
Vê-se, portanto, que reduzir os níveis de violência não é apenas um imperativo humanitário e social, mas também um fator relevante para o desenvolvimento econômico.
                Editorial da Folha de S. Paulo, 14 jul. 2004.

1) O texto disserta sobre os prejuízos que a violência acarreta à sociedade. Sob quais aspectos são analisados estes prejuízos?
2) Quais as informações fornecidas pelo texto acerca da violência?
3) Que tipos de violência interpessoal são citadas no texto?
4) O texto defende algum ponto de vista? Explique:

Nenhum comentário: