sexta-feira, 8 de outubro de 2010

O INIMIGO NA SOCIEDADE - EXERCÍCIOS DE SINTAXE

O INIMIGO NA SOCIEDADE
Mais do que qualquer outro fenômeno social, a banalização da violência, principalmente nas grandes cidades, enraizou-se em parte da sociedade brasileira. O maior perigo desse processo é a população deixar de indignar-se com atitudes bárbaras que ameaçam obter um lugar cativo no seu cotidiano.
Uma rápida e despropositada discussão de trânsito na zona sul da capital paulista foi um estopim para o linchamento do contador Washington Luís Poplade, 37 anos, na noite do último sábado. Um desenhista, um músico e um comerciante confessaram o crime, afirmando terem agido em “legítima defesa”, como se, para impedir qualquer suposta ação de um homem desarmado, outros três tivessem de espancá-lo até a morte.
Poplade não foi assassinado por um ladrão que tentava lhe tirar dinheiro. Tampouco foi vítima de um grupo armado de assaltantes ou traficantes de drogas. O contador foi morto pela intolerância que se instalou em parte das relações sociais, pela irritação, às vezes, transformada em violência bárbara, que muitos cidadãos demonstrarem em relação a outros.
Os três acusados não tinham passagem anterior pela polícia, mas atacaram a socos e pontapés um homem desarmado, acompanhado de sua mulher. Não se importaram com as testemunhas que presenciavam a cena, nem tentaram evitar que fossem reconhecidos. Voltaram às suas casas para serem presos horas depois, como se estivessem convictos de que agiram de forma adequada.
Casos como esse mostram que a violência está latente no coração da sociedade, manifestando-se em situações comuns. Contra ela, é preciso um trabalho de conscientização da própria população, cujos valores têm se mostrado impotentes para conter a agressividade humana.
O grito contra a violência que São Paulo lançou a dois meses atrás não deve ser dirigido apenas contra o crime tido como “profissional”. Qualquer campanha deve também questionar as relações dentro da sociedade que transformam, muitas vezes, o vizinho, o colega de trabalho ou o cidadão que ocupa o mesmo espaço no trânsito em um inimigo mortal.
FOLHA DE S.PAULO, 15 out. 1996.

ATIVIDADES GRAMATICAIS
1) SUBLINHE, NOS PERÍODOS ABAIXO, O SUJEITO E CLASSIFIQUE-O. APÓS, APONTE O NÚCLEO DO SUJEITO.
a) Voltaram às suas casas para serem presos horas depois.

b) Questiono a intolerância que está presente nos seres humanos, nos dias atuais.

c) Um desenhista, um músico e um comerciante confessaram o crime.

d) Mais do que qualquer outro fenômeno social, a banalização da violência, principalmente nas grandes cidades, enraizou-se em parte da sociedade brasileira.

e) Há uma campanha contra a violência social, em São Paulo.

2) CLASSIFIQUE OS TERMOS DESTACADOS DE ACORDO COM O SEGUINTE CÓDIGO:
PS – predicativo do sujeito OD – objeto direto OI – objeto indireto AADN – adjunto adnominal
CN – complemento nominal AP – agente da passiva AADV – adjunto adverbial

a) O contador foi morto pela intolerância que se instalou em parte das relações sociais.( )
b) Os três acusados não tinham passagem anterior pela polícia. ( )
c) Voltaram às suas casas para serem presos horas depois. ( )
d) A banalização da violência, enraizou-se em parte da sociedade brasileira.( )
e) O grito contra a violência que São Paulo lançou a dois meses atrás não deve ser dirigido apenas contra o crime tido como “profissional”. ( )
f) Uma rápida e despropositada discussão de trânsito na zona sul da capital paulista foi um estopim para o linchamento do contador Washington Luís Poplade. ( )
g) Casos como esse mostram que a violência está latente no coração da sociedade. ( )
h) Os três acusados não tinham passagem anterior pela polícia. ( )
i) Não se importaram com as testemunhas que presenciavam a cena. ( )

3) QUANTAS ORAÇÕES TÊM O 2° PARÁGRAFO?
4)PASSE AS ORAÇÕES ABAIXO PARA A VOZ ATIVA.
a) Poplade não foi morto por um ladrão.
b) O contador foi morto pela intolerância.
c) A violência deve ser questionada pela população e pelas campanhas.

5) PASSE AS ORAÇÕES ABAIXO PARA A VOZ PASSIVA ANALÍTICA.
a) Três homens atacaram e lincharam o contador Washington Luis Poplade.

b) A população de São Paulo lançou um grito contra a violência, há dois meses atrás.

c) A polícia e organizações não governamentais fazem trabalhos de conscientização contra a violência.

6) CLASSIFIQUE AS ORAÇÕES COORDENADAS ABAIXO:
a) São Paulo é uma cidade violenta, precisa de alternativas para combater criminosos.

b) Ou se acaba com a violência, ou a violência acabará com as populações das grandes cidades.

c) Não se importaram com as testemunhas que presenciavam a cena, nem tentaram evitar que fossem reconhecidos.

d) O crime contra o contador foi bárbaro, logo os assassinos devem ser punidos.

e) A violência está latente no coração das cidades, pois está manifestando-se em situações comuns.

f) Os três acusados não tinham passagem anterior pela polícia, mas atacaram a socos e pontapés um homem desarmado, acompanhado de sua mulher.

7) SUBLINHE O PREDICADO, CLASSIFIQUE-OS E APONTE O NÚCLEO.
a) Poplade não foi assassinado por um ladrão.

b) Não se importaram com as testemunhas.

c) A violência está latente no coração da sociedade.

d) Um contador morreu assassinado, na noite do último sábado.

e) Um desenhista, um músico e um comerciante confessaram o crime.

Nenhum comentário: